Educação

mestrado vera3

Tendo o Angari como temática de mestrado, jornalista faz a defesa na Colônia e coleta assinaturas para Projeto de Lei de iniciativa popular sobre direito dos pescadores

“Retrato Ecolinguístico dos pescadores do Angari” – esse é o tema da dissertação de mestrado da professora e jornalista Vera Lúcia Medeiros, que fará a defesa pública de sua pesquisa nesta segunda-feira(04), às 16 horas , na Colônia de Pescadores do Angari, em Juazeiro(BA). O trabalho é fruto do curso de mestrado em Ecologia Humana e Gestão Sociombiental , promovido pela Universidade do Estado da Bahia, Campus VIII – Paulo Afonso(BA).

A pesquisa, que teve artigo sobre a comunidade  publicado  em livro de professores da Universidade Federal de Goiás e Universidade de Brasília, também levará O Nêgo D’água e as Lavadeiras do Angari  como temática  para a  XX Conferência Internacional da Sociedade de Ecologia Humana (SHE) , que acontecerá nos Estados Unidos , em outubro deste ano, sob o tema : “Responsabilidade Ecológica e imaginação humana: Salvando o Passado Construindo o Futuro”.

Vera  Medeiros afirma que a comunidade do Angari tem um papel histórico e cultural para Juazeiro que não pode ser negligenciado. “O Angari é uma comunidade secular que representa muito para a história de Juazeiro. Não somente no aspecto cultural – visto contextualizar narrativas riquíssimas sobre o Nêgo D’água e sobre as Lavadeiras do Angari, que já foram cantadas nos versos de grandes artistas-, mas também  no sentido econômico e histórico, pelo trabalho que essas mulheres desempenharam ao longo de décadas e pela prática pesqueira, responsável por abastecer o mercado de Petrolina e Juazeiro com as mais diversas espécies de peixes. E isso tem sido prejudicado pelo descaso com o rio, com o Angari, com a importância da pesca para a vida deles e de todos nós”.

A pesquisadora também aborda, em seu trabalho, a questão do direito dos pescadores e suas famílias como comunidade tradicional.  Por isso, durante a defesa do trabalho, assinaturas serão coletadas para o abaixo-assinado da Campanha Nacional Pela Regularização do Território PesqueiroA campanha foi lançada em Brasília/DF, em Junho/2012 e busca a assinatura de 1% do eleitorado brasileiro, para uma lei de iniciativa popular que propõe a regularização do território das comunidades tradicionais pesqueiras.

 “A relação dessa campanha com meu trabalho de mestrado se deu pela  importância que esse Projeto de Lei tem para a comunidade do Angari. É preciso que a sociedade toda se envolva e assine o documento para que o território do Angari seja regularizado e passe, com mais urgência e atenção, a receber os cuidados que as autoridades têm negligenciado ao longo das décadas, em Juazeiro”, explica Vera Medeiros.

 A pesquisadora convida a todos para participarem desse momento de defesa e assinatura no prédio da Colônia de pescadores, nesta segunda-feira(04), a partir das 16:00, no Angari, em Juazeiro. Lembra, ainda, que é preciso o número do título de leitor para efetivar a assinatura.

WELINGTON JUNIOR
JORNALISTA – DRT 4619/BA

A baixo confira mais de Educação